O amor é o melhor remédio para corações feridos.

O amor é o sentimento mais profundo, intenso e expansivo que podemos experimentar em nosso dia-a-dia. Mova milhões de pessoas ao redor do mundo. Isso nos ajuda a curar nossas feridas emocionais e nos recompor depois que eles nos machucam e nossos corações feridos são tocados.

Não precisa necessariamente ser amor como casal, mas o amor em todas as suas manifestações: amor próprio, amor aos pais, amor aos amigos, etc. Sentir-se reconhecido e aceito pelos outros nos ajuda a reconstruir nossos corações e nos sentir acompanhados depois que eles nos machucam.

“Nascemos sozinhos, vivemos sozinhos, morremos sozinhos. Somente através do amor e da amizade podemos criar a ilusão momentânea de que não estamos sozinhos” Orson Welles

A forte autoestima pode nos ajudar a recuperar mais facilmente quando eles nos machucam e nossos corações se machucam. O amor próprio é uma boa medicina para aqueles momentos em que vemos obstáculos ao longo do caminho e curamos nossos corações feridos. Cuidar de nós mesmos em vez de nos torturar é uma boa receita para estar melhor quando nos sentimos traídos pelos outros.

Para que é o amor e para que é?
Quando falamos de amor, falamos não só sobre amor romântico, mas sobre o amor como um todo. O amor nos convida a socializar e expande nossa capacidade de nos relacionarmos. Geralmente produz um sentimento agradável e de bem-estar em relação aos outros. É um sentimento poderoso que nos ajuda a fazer conexões profundas com as pessoas que apreciamos.

“Um dos propósitos da vida humana, não importa quem a controla, é amar quem está perto de ser amado” Kurt Vonnegut…

Permite desenvolver empatia, tolerância e compaixão em sua forma mais pura. É uma emoção que nos faz sentir tão à vontade que se assemelha a uma droga, porque quando acaba, geralmente queremos mais. O amor, segundo a neurociência, é uma reação psicofisiológica que nosso corpo produz ao segregar neurotransmissores no nível cerebral, como ocitocina, vasopressina ou dopamina.

Esses hormônios nos ajudam a desenvolver sentimentos de prazer, euforia, satisfação e plenitude. No nível cerebral, áreas específicas são ativadas que ajudam a nos ligar, promovendo comportamentos em um nível social e emocional com as pessoas ao nosso redor.

Corações feridos são capazes de ser recompostos
Todos nós tivemos nossos corações partidos. Pode ser, de um casal que nos machucou, um amigo da alma que nos decepciona. A emoção é de tristeza, como se estivéssemos vazios, sentindo que nossos corações estão destruídos em mil pedaços e com ela a espinha dorsal do nosso equilíbrio emocional.

Imagine que seu melhor amigo pare de te ligar porque ele conheceu alguém e não tem mais tempo para conhecê-lo. Como você vai se sentir? Certamente traído e ferido, sem entender o motivo de sua reação. Apesar da dor causada pelo nosso desgosto, somos capazes de reconstruir nossos corações, assim como a fênix que renasce de suas cinzas.


“Amar não é só querer, é acima de tudo entender” -Françoise Sagan-

Nossos corações são capazes de emergir fortalecidos das adversidades. Esse recurso é chamado de resiliência, a capacidade que temos de nos adaptar positivamente às circunstâncias difíceis que encontramos. Não importa se a vida nos atinge com força, também podemos aprender com o doloroso. É só uma questão de ver nossa história de uma perspectiva diferente.

Amor próprio é o fio que costura a ferida
O amor próprio é a base na qual começamos a nos recuperar depois que um relacionamento importante para nós é quebrado. Nesse sentido, a capacidade de nos aceitar com nossas falhas e virtudes nos permite ser mais amorosos e compassivos, tanto conosco quanto com os outros.

Por exemplo, imagine que você se aceita como você é, você se sente à vontade com sua aparência física e com seu interior. Isso tornará mais fácil para você enfrentar um término amoroso. Isso não tira a dor da perda, que todos nós experimentamos quando há uma pessoa ou situação saindo. Mas pelo menos você terá mais força para reconstruir seu coração ferido uma vez que você passou pelo duelo.


Dizer adeus ao que não está mais em nossas vidas é muitas vezes difícil porque sentimos muita tristeza e dor. Essas emoções podem nos dar a impressão errada de que nossos corações serão quebrados para sempre. No entanto, se ousarmos dar lugar a essa dor, as cicatrizes permanecerão, mas nossos corações feridos serão curados.

Só pessoas corajosas pedem ajuda.
Não se sinta inferior se precisar de alguém para te dar uma mão, porque é a coisa mais normal do mundo. Quando estamos em um processo de luto, talvez precisemos confiar nas pessoas em quem mais confiamos. Fale com as pessoas ao seu redor e deixe-me apoiá-lo. As pessoas que te amam podem ajudá-lo a colocar sua história de volta, para que você possa definitivamente fechar o capítulo para abrir outra.

Você fica mais forte quando não carrega sua dor sozinha e pode compartilhá-la com aqueles em quem confia. Expressar suas feridas faz seu coração se encher de cicatrizes de orgulho, que dizem: – Eu passei por essa situação difícil e consegui superá-la. Às vezes é possível que se você achar difícil chegar a este ponto, você pode precisar da ajuda de um psicólogo para obter uma nova perspectiva sobre sua vida.

Em suma, corações sem vergonha e feridos são curados com amor próprio e cercados pelas pessoas que você gosta. Seu coração finalmente vai se reconstruir, ficando mais forte. Aceite sua dor para que a tristeza possa se tornar ilusão novamente. Você precisará de tempo e nesse tempo você também terá que dar uma nova oportunidade: você e outros.

Adriana Reyes Zendrera
Graduado em Psicologia pela Universitat Autonoma de Barcelona
Publicado originalmente emhttps://lamenteesmaravillosa.com/

Deixe uma resposta