Não tenha medo do Ridículo

Não tenha medo do Ridículo:
Sobre os receios que permeiam os modos de fazer clínica

                    

     Ser psicóloga, dentre as infinitas possibilidades de explicações pessoais e técnicas possíveis, me faz pensar na trajetória da prática clínica e seus tropeços, mais que qualquer outra coisa.

     Sobretudo, em um ano que exigiu de nós todos, profundas mudanças no modo de trabalhar. 
Certa vez, tive um professor de teatro que, durante um exercício de aquecimento corporal, sentiu a dificuldade da turma em se soltar e gritou a frase que, para mim, foi de liberdade:

     Não tenha medo do ridículo!

     Começar a fazer clínica logo após a formatura, longe daquela SUPER visão dos professores, tem mais pequenos tropeços que algo de SUPER. Nada há de heroico.

     De certa forma, uma ferida narcísica se abre em nós e precisamos dar conta, como Freud bem nos disse. Nos deparamos com nossa fragilidade, agora sem a mão protetora do meio acadêmico. Somos nós e aquelas estórias diante de nós.

“Eu falei demais?’
“Eu devia ter falado aquilo..”
“Não tenho ideia do que fazer agora!”

    Por aqui, foi ficando mais fácil a medida que a frase de liberdade supracitada passou a fazer parte do meu cotidiano. Permitiu-me acolher os tropeços de um caminho que ainda era novo e colocar minha personalidade ali, sem tantos receios.


    E muita terapia pessoal também para me (re)conhecer como Psicóloga Natália Montagner e o que fazer com isso. Um excelente lugar para cuidar de todas as feridas narcísicas dessa vida, aliás.

     Na prática clínica tem riso, tem música, tem filme favorito que vem para a sessão, tem dores que se encontram e que as técnicas cuidam do manejo.

      Tem tudo o que é da vida, ora se não são com pequenos tropeços que persistem em tornarem-se passos, que os passos começam na vida.

Tropeçar faz parte disso.

 Tropeços do lado de cá e de lá do divã.

    Aos que estão no começo do caminho, acolham o que parecer ridículo.
Não tenham medo, que isso nos transforma de forma genuína, para além da clínica.

    Aos que estão há tempos no caminho, um convite à reflexão e à memória:

    Lembram do começo?

    E quais são os tropeços novos?

Natália T. Montagner
CRP 06/114971
Psicóloga Clínica e Especialista em Saúde Mental
Contato: (14)998507012

Imagem: Pinterest

Deixe uma resposta