upset ethnic man holding head reading information on laptop in park

Produtividade tóxica e os riscos para a saúde.

A ideia de que é preciso trabalhar o máximo de tempo possível, sem descanso, para alcançar determinados objetivos é perigosa.

Tenho certeza que já ouviu as frases: “trabalhe enquanto eles dormem”, “estude enquanto eles se divertem”. Apesar de serem ditas com um ‘tom’ motivacional, estas afirmações podem trazer riscos a saúde física e mental.

publicidade

A exigência por determinadas metas de trabalho tem sido alvo comum nas redes sociais. Não ter tempo ainda é visto com orgulho, como se dissesse “estou produzindo e ocupado”, seguido da frase com forte cobrança “e você, está fazendo o quê?”

A questão é que o sentimento de inutilidade tem se transformado em algo que tem atingindo cada vez mais a autoestima das pessoas. E este sentimento, muitas vezes deriva dessa necessidade de estar incansavelmente produzindo algo.

Cobranças sociais, como: você já tem essa idade e produziu/construiu o quê?

young troubled woman using laptop at home
Photo by Andrea Piacquadio on Pexels.com

Entrar no ciclo da produtividade tóxica pode conduzir a pessoa a necessidade de autopreenchimento apenas através do trabalho, privando das necessidades de descanso e lazer, já que começa a acreditar que se escolher descansar, será passado “para trás” da concorrência.

Essa necessidade de estar sempre produzindo pode gerar sentimento de vulnerabilidade, medo, intensa ansiedade, além de baixa autoestima, principalmente ao ser bombardeado por outras pessoas nas redes sociais afirmando e cobrando a necessidade de produzir o tempo inteiro.

As consequências desse comportamento podem gerar quadros de estresse, ansiedade, burnout e depressão. Além do mais, o cansaço diminui nossas capacidades cognitivas, aumentando a probabilidade de erros e diminuição da criatividade. Por isso, é importante descansar.

Organize seu tempo.

Não consegue desligar a mente do trabalho? Busque ajuda profissional.

Este artigo foi útil?

Publique seu artigo no Diário Ampla. É gratuito.

Clique aqui e saiba como.

Você também pode gostar

Leia também

Pesquise por categoria

Deixe uma resposta