selective focus photography of red and black sleeveless dress with sun rays near trees

Sabe aquele nó na garganta?

DIGA ADEUS A ELE E LIBERTE-SE AGORA DA NECESSIDADE DE AGRADAR OS OUTROS, COM ESTAS SIMPLES ATITUDES

Você sabia que tudo aquilo que não dizemos acumula-se no corpo e na mente, transformando-se em noites sem dormir, nós na garganta, nostalgia, dúvidas, insatisfação e tristezas? 

O que não dizemos não morre… Mata-nos. Mas quero te mostrar como mudar esta situação, tomando atitudes simples e práticas.

A sensação de nó na garganta geralmente acomete pessoas que sofrem de ansiedade, depressão ou síndrome do pânico, ambas provocam o excesso de tensão nos músculos da garganta, tornando este mal estar um sentimento de sufocamento.

publicidade

Por sermos seres, naturalmente, pessimistas tendemos a pensar sempre no pior, fazendo diagnósticos equivocados de situações cotidianas, que podem ser resolvidas por meio de decisões mentais estratégicas.

O nó na garganta, está intimamente ligado a mágoas, inseguranças e medos. Palavras não ditas, angústia antecipada, não aceitação de decisões alheias e muitos outros fatores que absorvemos sem digerir, como o velho ditado: “engolir sapos”. 

Você tem engolido muitos “sapos”, ultimamente? 

Maltratamos nosso corpo para não magoar as pessoas. Criamos um cordão de sufocamento imaginário, simplesmente  para evitar ofender o outro ou ficar com a imagem de grosseiro. Então aceitamos ofensas de pessoas que, às vezes, nem nos conhecem.

publicidade

A comunicação é fundamental para todo tipo de relacionamento. Logo, falar o que pensa a respeito de tal assunto, se faz essencial para que a vida flua, naturalmente, ao seu redor.

Portanto, essas atitudes podem ajudar a mudar seu modo de encarar os problemas e resolvê-los, antes mesmo que eles virem um nó.

  • Fale e expresse suas emoções: como se sente a respeito de determinada situação (Não altere a voz, não se exalte, mantenha a postura e a razão. São estas estratégias que vão te fazer ganhar uma discussão)
  • Aprenda a dizer *NÃO* (Vai evitar muitos nós e dores na garganta)
  • Comunique suas decisões, planos e desejos (Pense alto, ninguém é adivinho)
  • Cuide do que sai de sua boca! Não é apenas o que engolimos que nos adoece, mas também o que proferimos. 
  • Fale com amor. 

Seguindo essas dicas, liberamos nossa mente da necessidade de agradar a todos e consequentemente passamos a nos agradar por nossas decisões seguras.

Gostou? Curte!

Giselle Possatto
Giselle Possatto

Psicóloga Clínica com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas e Pós Graduação em Pedagogia Sistêmica.
Colunista da Página O segredo e da Revista Statto do RS.
Instagram: @giselepossatto
Facebook: Gisele Possatto

Você também pode gostar

Pesquise por categoria

Deixe uma resposta