photo of a sad girl holding paint brush

Reprimir emoções negativas não faz elas desaparecerem

Ao sentir uma emoção negativa, geralmente queremos fazê-la sumir o mais rápido possível. Mas ao invés de desejar que desapareça, podemos aprender a gerenciá-las e aprender com isto. Além do mais, reprimir emoções negativas não faz com que elas desapareçam, mais cedo ou mais tarde, elas voltam à tona.

A própria sociedade reprime emoções negativas. É como se estivéssemos proibidos de senti-las. Por isso, é importante aprender a liberá-las sem deixar que elas te dominem.

publicidade

As emoções fazem parte da nossa vida. Sentir-se feliz, triste, com raiva… fazem parte do nosso cotidiano. O modo como você gerencia e experimenta os seus sentimentos é que irão interferir no seu bem-estar. Lembre-se, a maneira como você lida com suas emoções não faz com que elas desapareçam, mas faz com que se tornem adequadas (ou não) ao momento vivenciado, fazendo com que seja capaz de lidar com as adversidades do seu dia a dia.

Então, como consigo gerenciar minhas emoções?

Primeiro é importante compreender o motivo pelo qual elas aparecem. Por que determinada situação te causa tanto mal estar?

Com a resposta acima, você pode tentar evitar momentos ou situações que te despertem emoções negativas. No entanto, caso não seja possível, busque construir mecanismos próprios de enfrentamento da situação ameaçadora. Prepare-se antes, mude suas expectativas, tenha pensamentos reais e seja mais compreensivo.

A mudança de pensamento também pode ajudar a enfrentar uma situação desgastante de forma mais positiva e saudável, consequentemente, afetando menos você.

Exercícios de respiração ajudam a acalmar e manter o autocontrole. Inclusive as emoções negativas que despertam raiva.

Lembre-se que você é o único responsável pelo que sente, portanto, não adianta culpa o outro e o mundo. O modo como você se sente vai depender de você.

Publique o seu artigo no Diário Ampla.

Clique aqui e saiba como.

Você também pode gostar

Pesquise por categoria

Leia também

Deixe uma resposta