man standing beside his wife teaching their child how to ride bicycle

Você tem expectativas reais ou idealizadas em relação ao filhos? Saiba diferenciar.

Uma pausa para refletir 

Muitas vezes criamos expectativas surreais em relação aos nossos filhos. 

Isso remete ainda à gestação, ao bebê idealizado, àquele que corresponderá a tudo que desejamos que o nosso filho seja.

E então, ele nasce e a medida que vai crescendo, entramos em contato com nossas próprias frustrações e, injustamente, projetamos isso em nossos filhos.

(E não, eles não merecem nossas frustrações não elaboradas, não refletidas. Lembre-se de como se sentia quando criança, quando adultos, ao invés de te ensinarem com amor, te repreendiam e te calavam – o famoso “engole o choro”).

publicidade

Esquecemos de entender que eles são pessoas diferentes, com sua própria personalidade se construindo, com seu próprio caminho para trilhar.

Nós, pais e mães, estamos aqui para guiá-los, não para moldá-los ao nosso jeito. Crianças não são moldes, não são robôs. São pessoas, tem sua essência e estão se construindo nesse mundo.

E quando finalmente compreendemos isso, nos tornamos pais/mães mais leves. 

Nossos filhos não estão aqui para corresponder às nossas expectativas, estão aqui para construir seu próprio caminho, assim como nós, saímos da casa dos nossos pais e construímos o nosso.

Busquemos a cura da nossa criança inteiror. 

Crianças precisam de amor.

Suzanne Leal
Suzanne Leal

@suzannelealpsi
suznanelealpsi@gmail.com

Divulgue seu artigo no Diário Ampla.

Clique aqui e saiba como.

Você também pode gotar

Pesquise por categoria

Leia também

Deixe uma resposta